Para refletir...

“Cuide-se como se você fosse de ouro, ponha-se você mesmo de vez em quando numa redoma e poupe-se.”Clarice Lispector

sexta-feira, 11 de setembro de 2015

O MERCADO MANDA MESMO?


01 Quem se dedicar hoje a ler todos os livros, manuais e artigos sobre o que é ser um ''bom
02 profissional'' certamente vai desistir de tentar qualquer emprego. Em primeiro lugar, as
03 descrições que encontramos são sempre de ''super-homens'', que nunca têm estresse, não
04 se cansam, são capazes de infinitas adaptações, nunca brigam com a família... Ou seja,
05 não é descrição de gente.
06 Em segundo lugar, o conjunto dessas fórmulas é francamente contraditório. O que uns di-
07 zem que é bom outros acham que não. É como se cada autor, cada consultor, cada
08 articulista pegasse uma ideia, transformasse em regra e quisesse aplicá-la a todos os seres
09 humanos, de qualquer sexo e de qualquer cultura.
10 Não é preciso muita sociologia para perceber que esse emaranhado todo, ao pretender indi-
11 car o bom caminho para o profissional, desenha uma espécie de ''tipo ideal'' de trabalhador
12 para as necessidades do mercado. E como o próprio mercado é todo cheio de ambiguidades
13 e necessidades que são contrárias umas às outras, o que sobra para nós é uma grande
14 perplexidade.
15 Então que tal parar um pouco de pensar no mercado e pensar em você mesmo? Qual é o
16 ''algo a mais'' que você, com sua personalidade, suas aptidões, seu jeito de ser, qual é esse
17 ''algo'' que você pode desenvolver? É preciso saber que formação é a mais adequada para
18 você, não a formação mais adequada para o mercado.
19 As diferentes cartilhas, as diversas teorias, as fórmulas mágicas servem apenas para tentar
20 conduzir todo mundo para o mesmo lugar. O desafio é sair desse lugar e se tornar alguém
21 incomum, de acordo com seus desejos e interesses. Então, não será apenas uma questão
22 de ''empregabilidade'', como dizem, mas de vida.
23 Pode até não parecer, mas nós somos seres humanos, com dignidade. No mercado, há
24 obviamente mercadorias, simplesmente com preço. E fazer o melhor por si mesmo, e não
25 pelo mercado, é algo que não tem preço.
(In: FOLHA DE SÃO PAULO - Especial: Empregos, 22 de abril de 2001 - p.10 - texto adaptado)
01    A principal relação de ideias presente no texto é a oposição entre mercado e:
A)    sociedade.
B)    emprego.
C)    consultores.
D)    teorias.
E)    indivíduo.
    
02    A crítica do autor dirige-se às publicações que, para vender a imagem do ''bom profissional'', apresentam orientações
A)    extraordinárias e incoerentes com o mercado.
B)    inaceitáveis e muito cheias de regras.
C)    extravagantes e indiferentes à cultura de cada um.
D)    irrealizáveis e incompatíveis entre si.
E)    enganadoras e pouco criativas.
    
03    Com a expressão ''super-homens'' (linha 03), o autor tem a intenção de
A)    fazer alusão ao potencial extraordinário das pessoas que buscam o constante aperfeiçoamento profissional.
B)    ressaltar a admiração que os modelos de profissional apresentados pelos manuais despertam no leitor.
C)    evidenciar a distância entre o que se recomenda nos livros e o que, de fato, as pessoas conseguem ser.
D)    incitar os futuros profissionais a se equipararem com os heróis modernos.
E)    reforçar a necessidade de preparação para que os jovens possam acompanhar, com um mínimo de segurança, os ''voos'' do mercado.
    
04    As expressões abaixo, extraídas do texto, referem-se todas ao conteúdo dos livros, manuais e artigos criticados pelo autor, EXCETO a da alternativa
A)    ''as descrições que encontramos'' (linhas 02 e 03).
B)    ''o conjunto dessas fórmulas'' (linha 06).
C)    ''esse emaranhado todo'' (linha 10).
D)    '' uma grande perplexidade'' (linhas 13 e 14).
E)    ''as diversas teorias'' (linha 19).
    
05    Para o autor, o mais importante na busca do sucesso profissional é
A)    fazer-se notar pela melhor formação, mesmo pagando caro por isso.
B)    descobrir o que há de melhor em si mesmo e nisso investir.
C)    esquecer o mercado para dedicar-se a algo mais interessante.
D)    sacrificar tudo o que for preciso para conseguir um emprego digno.
E)    seguir o que dizem as cartilhas, mas sem abrir mão da dignidade.
    
06    A alternativa que melhor corresponde ao sentido da palavra ''francamente'' na frase da linha 06 é
A)    claramente.
B)    honestamente.
C)    diretamente.
D)    cordialmente.
E)    espontaneamente.
    
07    No texto, as palavras ''indicar'' (linhas 10 e 11) e ''conduzir'' (linha 20) significam, respectivamente,
A)    citar e acompanhar.
B)    demonstrar e seguir.
C)    expor e transmitir.
D)    mencionar e transferir.
E)    sugerir e encaminhar.
    
08    A estrutura que, ao completar a frase abaixo, altera a recomendação apresentada na linha 15 é:
O autor sugeriu que
A)    você parasse um pouco de pensar no mercado para pensar em você mesmo.
B)    você, ao pensar um pouco no mercado, parasse para pensar em você mesmo.
C)    você, em vez de pensar tanto no mercado, pare um pouco para pensar em você mesmo.
D)    você pensasse mais em você mesmo, parando um pouco de pensar no mercado.
E)    você, sem pensar tanto no mercado, parasse um pouco para pensar em você mesmo.
    
09    A informação da frase ficaria alterada, caso fosse suprimida do texto a expressão
A)    ''que são'' (linha 13).
B)    ''formação''(linha 18)
C)    ''se'' (linha 20).
D)    ''até'' (linha 23).
E)    ''mesmo''(linha 24).
    
10    A palavra ''que'' retoma uma palavra anterior na alternativa
A)    ''as descrições que encontramos são sempre de super-homens'' (linhas 02 e 03).
B)    ''uns dizem que é bom'' (linhas 06 e 07).
C)    ''outros acham que não'' (linha 07).
D)    ''Então que tal parar um pouco'' (linha 15).
E)    ''É preciso saber que formação é a mais adequada'' (linha 17).


Gabarito
01-E | 02-D | 03-C | 04-D | 05-B | 06-A | 07-E | 08-B | 09-C | 10-A


Fonte: analisedetextos.com.br

Nenhum comentário:

Postar um comentário